Tô não tô

De alma lavada!

A virada do ano foi em um lugar mágico numa ilha quase intocada, cujo nome e coordenadas combinamos não mais mencionar.

O “lugar cujo nome não pronunciaremos” tinha uma praia com uns 800 metros de extensão e verde para todos os lados. Os morros faziam uma meia-lua verde abrigando a praia de fora a fora, e o mar verde terminava de completar a paisagem.

Ao final da faixa de areia, um rio desembocava no mar e ali nessa mistura salobra sentávamos para boas gargalhadas.

Quando o último sol de 2009 estava preparando para se despedir, uma nuvem carregada de chuva se revelou por detrás de um dos morros e a turma decidiu voltar para o camping, “antes que a chuva chegasse”.

Em bando, oito ou dez pés descalços começaram a atravessar os 800 metros que nos separavam do abrigo.

Nem era metade do caminho quando ela chegou. E chegou sem cerimônias, com pingos grossos, com jeito de quem aproveitava para chover a última chuva de dois mil e nove.

E era uma chuve bem chovida. Cada pingo pingava na pele com tanta vontade que chegava a doer. Os braços, o peito, a cabeça, os pés. Pingos doloridos!

E poucos segundos separaram os modos “seco” e “molhado” de nossas roupas e pertences. Em o que pareceu uma fração de segundo, estávamos encharcados!

Como a chuva vinha de frente, a primeira reação foi se esconder atrás dos mais altos. O Chicão, a prancha de surfe do Haruo e uma brancha de boddyboard serviam de abrigo. Como índios, formávamos fila uns atrás dos outros tentando fugir do ataque incisivo das gotas. O três então formaram um paredão e, de três em três fomos nos reunindo atrás, formando um compacto de gente. Para facilitar o passo, sincronizamos as passadas numa marcha quase harmônica. Nessa hora, até um grito de guerra foi improvisado!

Frustradas as tentativas de se proteger da chuva, pequei o Namorado pela mão e decidi enfrentá-la.

E assim encaramos aquela chuva como um banho de energia para o ano que se aproximava. De vez em quando eu não resistia e tentava abrigo atrás dele, mas a chuva era insistente! Então, encaramos frente-a-frente.

E assim percorremos os intermináveis metros que nos separavam do abrigo final.

Deixando pra trás, gota a gota, o que não precisava ser levado para o próximo ciclo.

E assim deixamos 2009 para trás. E seguimos em frente de alma lavada!

Anúncios
Projeto Tocantins

Projeto SC Urgente

O post de hoje foge da linha do Projeto Tocantins por uma boa causa: o lançamento da campanha Santa Catarina Urgente.

SANTA CATARINA URGENTE

As chuvas em Santa Catarina que provocaram na última semana grandes perdas em diversas cidades do estado trouxeram à tona também o espírito de solidariedade de pessoas de todo o Brasil. As cidades do Vale do Itajaí e do Norte do estado foram as mais castigadas, mas em maior ou menor grau, todas as cidades da faixa litorânea estão passando por sérias dificuldades. O poder público tem tomado todas as medidas para atender as necessidades das populações destes municípios, inclusive com a colaboração de estados vizinhos e o Governo Federal. Mesmo assim, um movimento social em prol das vítimas das chuvas é fundamental para que se possa amenizar o sofrimento das milhares de famílias que se encontram desalojadas e que,mesmo após a normalização das condições climáticas, enfrentarão o desafio de reconstruir suas vidas. Para promover este movimento foi criada a campanha Santa Catarina Urgente com o objetivo de sensibilizar a sociedade catarinense e também brasileira para participar com doações que possa amenizar a situação das famílias atingidas.

No último domingo, dia 30, a campanha foi oficialmente lançada com a veiculação de anúncios diversos em jornais, revistas, rádios e outdoors, além de três comerciais de televisão com as principais personalidades catarinenses e nacionais do esporte, da cultura e de demais áreas de destaque, como Guga Kuerten, Fernando Scherer, Giovane Gávio, Bruninho Rezende, Carolina Kasting, Marieva, Paulo Zulu, Falcão, Bruno Fontes, Mariana Weickert, Marquinhos Santos, Clayton Xavier, Teco Padaratz, entre outros. O piloto Felipe Massa, que está na capital catarinense para um evento esportivo, fez questão de gravar seu apoio.

Quem está por trás desta ação?
A ação Santa Catarina Urgente, iniciativa voluntária da agência Propague, de Florianópolis, foi levada ao Governo do Estado, que se responsabilizou pela operacionalização. “Assim como nas outras situações de emergência em Santa Catarina, como nas enchentes da década de 80, a Propague sempre colaborou voluntariamente em situações de necessidade pública” conta Roberto Costa, presidente da agência, que acredita ser uma obrigação da indústria de propaganda a criação de campanhas de interesse público e comunitário. Para o secretário de comunicação do Estado de Santa Catarina, Derly Anunciação, a campanha é fundamental. “Este é um momento de união, de solidariedade, e com este movimento podemos buscar a ajuda necessária para a reconstrução urgente do nosso estado”, diz ele.

Os veículos de comunicação de Santa Catarina e de alguns outros estados serão parceiros na divulgação da campanha em televisões, rádios, jornais e revistas. Todas as empresas e instituições participam de forma voluntária, como a Brasil Telecom, que disponibilizou o 0800; a TIVIT, que vai operar o 0800; as produtoras Cristal e Batuque; os fotógrafos Felipe Arruda e Rubens Angeloti; o Clube dos 13; os times catarinenses; as TVs Cultura de São Paulo e Globo do Rio de Janeiro; além dos principais veículos de SC que apóiam esta ação.

Como ajudar?
Para efetuar uma doação, basta ligar para 0800-482020. As ligações são gratuitas e podem ser feitas de qualquer lugar do Brasil.