Projeto Tocantins

Correios – tudo muito simples

Eu e um amigo resolvemos assinar uma revista juntos. Só que tinha um porém: o carteiro não vem até a minha casa, alegam que “é muito longe”. Sendo assim, a assinatura foi feita EM MEU NOME, mas colocamos o endereço do meu amigo, na CASA DA RUA 15.

Umas três semanas depois de assinar, meu amigo questionou ao carteiro por que ainda não havíamos recebido nenhum exemplar. Como esse contato foi feito no escritório onde meu amigo trabalha, o carteiro pegou a resista que vem EM MEU NOME, endereçada originalmente para a CASA DA RUA 15, e passou a entregar no ESCRITÓRIO DA AVENIDA DAS PALMEIRAS.  Aí toda semana a secretária do escritório me avisava por msn que minha revista tinha chegado.  Tudo muito simples.

Até que um dia meu amigo viajou e eu fiquei meio sem jeito de continuar incomodando a secretária. Parei o carteiro na rua e falei para ele pegar a revista EM MEU NOME, endereçada para a CASA DA RUA 15 e guardar lá na agência porque eu pegaria direto lá.

Desde então, a revista em MEU NOME, endereçada para a CASA DA RUA 15, que antes era entregue no ESCRITÓRIO DA AVENIDA DAS PALMEIRAS, passou a ser guardada na prateleira da MINHA RUA. Tudo muito simples.

Só espero que não mudem o carteiro.

Anúncios
Projeto Tocantins

Projeto pombo correio

Agência dos Correios de São Salvador, nove e meia da manhã. Na entrada, alguém já me aponta pro final da fila, que faz uma curva em U. Umas quinze pessoas esperam para ser atendidas. Pagar, conta de água e luz, quitar faculdade à distância, mandar carta, sacar dinheiro. Como aqui não tem agência bancária, lotérica ou coisa que o valha, o postinho dos correios é a única alternativa. (Acho que eles esperam juntar o máximo de contas no mês pra poder enfrentar o Correios uma vez só. Se eu tiver que fazer isso todo mês, vou montar um sistema de rodízio com meus vizinhos, cada mês um paga as contas de todo mundo)

Se cada um ali levasse cinco minutos pra ser atendido, eu não sairia dali antes de esperar pelo menos uma hora. Só um atendente trabalha naquele posto. Mas tudo bem, eu queria muito mandar aquelas cartas. E diz que ali é fila o dia inteiro, mesmo. Não tem hora boa pra ir. E a fila começa a se formar cerca de uma hora antes de as portas abrirem. Em dia de pagamento, as portas se fecham e ainda tem gente pra ser atendido.

Espero cinco minutos, entram duas moças, cada uma com uma criança no colo. Vão direto pro caixa, para serem atendidas. Com um sorrisão amarelo, fazendo cara de “que espertas que nós somos”. E o povo na fila começa a cochichar: “da próxima vez pego a filha da minha vizinha emprestada pra não pegar fila”. Não bastasse o tempo normal da espera, ainda tem os idosos, mães e grávidas pra passar na nossa frente!

Uma hora entra um senhor. Não parece ter muito mais que 60 anos. Vai direto pro caixa também. Aí a mulherada da fila não perdoa, começa a gritar:
– Ô seu Irineu, o final da fila é aqui, ó.
– Nessa hora todo mundo quer ser velho!
– Seu Irineu, faça como eu, vem pro final da fila!
– Tem toda disposição do mundo lá fora, e entra aqui mancando feito velho!
Fizeram um boicote, ninguém deixou o coitado do seu Irineu fazer o que tinha que fazer.
E seu Irineu, só rindo.
– Eu sou um cara velho, tô cansado… Outro dia, eu tentei ser atendido no caixa, as mulher ficô brava, umas quatro me pegaro pelo cinto e me jogaram pra fora do correio! (ahahah, imagina a cena)
Mas eu já tava vendo aquelas mulheres levantarem e colocarem o seu Irineu pra rua, quando ele desistiu de passar na frente de todo mundo, e foi embora sem ser atendido!

Vinte minutos de espera, e nada de aquela fila andar. Quando eu achava que já tinha visto o bastante e já estava conformada em esperar ali em pé, chega de boca em boca a notícia de que o sistema tinha travado! Estava fora do ar. Era só o que me faltava, mesmo. Quase fui lá no caixa tentar dar um ctrl+alt+del no computador!

Até que me chega uma alma santa:
– A senhora vai só mandar carta? Então pode passar na frente de todo mundo, que agora ninguém vai conseguir pagar nada.

Ufa! Quase fui lá dar um beijo no computador.