Tô não tô

Susto na madrugada

Faz umas semanas já, mas tá valendo!

Um dia eu cheguei em casa e vi que finalmente meu quarto estava liberado. Era uma quarta à noite e decidi que naquela hora mesmo eu ia fazer a mudança: cama, escrivaninha, roupas, tudo pro quarto novo. Arrasta daqui, empurra dali, puxa pra cima, dobra, desembrulha, monta…

Ufa! Umas 22h fechei a porta do quarto e caí na cama, exausta, num sono profundo.

De repente, não mais que de repente, no meio da madrugada, um alguém abriu a porta do meu quarto com toda força do mundo! Olhei para o vão, era um vulto. Ai que medo! Levei o maior susto do mundo e só tive uma reação:

– Aaaaaaaaaaaaaaah. Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!

Ouvia-se desespero saindo da minha garganta:

– Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!!

Percebendo meu pânico, a Elis, tadinha, foi logo se explicando:

– Deni, sou eu, Elis. Eu só queria abrir o quarto do Cris pra ventilar e sair o cheiro de cigarro.

E eu:

– Ai, Ê, desculpa, me assustei. Desculpa…

Ahahahahaah. Me assustei.

Jura?

No outro dia, lá pelas três da tarde, a Elis me chamou para pedir desculpas pelo msn. E foi aí que lembrei do ocorrido! Vejam só a profundidade do sono da pessoa!

Anúncios
Tô não tô

Me mandem de volta!!

A pessoa volta pra civilização e acha que ainda está morando no interior. Vejam o que aconteceu comigo ontem e me digam se não é pra me mandar de volta pro TOCA:

Fui a um evento na Assembléia Legislativa e tive que rodar muito lá pra achar uma vaguinha pra deixar o carro.

Rodei, rodei, rodei… até que achei a última vaga num lugar que nem estacionamento é. É uma pista de uma via movimentada que virou estacionamento ao longo dos anos. Tinha um guardador, que me orientou na baliza e só por isso concordei em lhe dar um real. Na hora ainda caiu uma moedinha no chão e eu falei que ele podia ficar com ela. Ele me pediu mais, eu disse que não tinha trocado, era só o que eu tinha. E ele “mas eu tenho troco!” .. Pode?

Enfim, o caso é que eu fui pro evento, fiquei umas três horas lá e quando saí, já à noite, só restava o meu carro e nada do guardador.

Acreditam que quando eu cheguei percebi que não tinha acionado o alarme? E pior, a janela tava abertona???

Fiquei mega assustada, entrei no carro e arranquei.

Nisso veio um guri acenando (percebi que não era o mesmo guardador do início porque esse tinha dois braços e aquele, só um)… ele tentou me fazer parar o carro, acho que queria falar comigo. Isso me assustou mais ainda e arranquei sem falar com ele.

Aí a ficha começou a cair… o carro passou três horas aberto, num lugar meio ermo, anoitecendo, no pé de um morro…

Olhei pra trás e vi que o banco estava vazio… me desesperei! Minha irmã que usa mais o carro, vive deixando uma bagunça ali atrás! Achei que os carinhas tinham feito uma limpa! E desandei a chorar.

Na hora que peguei a minha irmã, aos prantos, fui olhar com ela se tava faltando alguma coisa… e acreditam que o guardador escondeu as bolsas embaixo dos bancos?? Eu tenho certeza disso, porque elas não estavam ali quando entrei no carro…

Agora fiquei com o maior dos remorços… acho que vou voltar lá e recompensar quem quer que tenha cuidado do meu carrinho pra mim!

E acho também que aprendi a lição…

Projeto Tocantins

O dia em que “roubaram” o Uno

Acabei de chegar de viagem. Era noite já. Na hora em que dobramos a esquina da nossa rua: “ué, cadê o Uno?”  Ontem quando saí ele estava exatamente aqui na frente de casa!!!

Nessa hora, três coisas passaram pela minha cabeça ao mesmo tempo:

1. Roubaram o Uno

2. Algum amigo precisou do Uno

3. Estão tirando com a minha cara

Acontece que o Uno vermelho mora na rua desde o dia em que o resgatei da garagem usando uma pinguela, e ficou impossível guardá-lo de volta.

Entrei em casa pra me certificar de que tudo estava aqui dentro.  Não, não tinha havido um assalto e sim, a chave estava aqui no porta-chaves! Logo, a hipótese de um “empréstimo” foi descartada.

Não acreditei no que vi quando não encontrei ele onde tinha deixado. Não é possível que alguém tenha roubado o Uno! Quem ousaria? Qualquer um que visse o Uninho andando por Palm Springs pilotado por um estranho notaria que alguma coisa está errada!!

Fui então perguntar na casa vizinha. Três velhinhos saíram lá de dentro e não sabiam de nada. Um deles disse:

– Olha, eu vi o carro hoje cedo, até tava passando as máquina do asfalto e eu ia falar com o meu sobrinho, pra ele tirar o carro, mas aí vi que não era o uno dele e aí …blablabla… 

Então ligamos pra um amigo, pra saber se ele sabia de algo – a possibilidade de estarem tirando uma com a nossa cara ainda não tinha sido descartada!

Mas não, ele não sabia de nada.

O próximo passo foi ligar para o prefeito: Se passaram com as máquinas do asfalto, é possível que um guincho tenha tirado o carro?

– Não, – disse o prefeito – e não foi hoje que passou a máquina, foi ontem!

Eu ainda não acreditava que alguém tivesse roubado o Uno Vermelho! Eu ria de nervoso, só conseguia rir!!

Até que a velhinha vizinha me chamou e disse que ia me mostrar um carro que ela achava estanho que estava num lote vazio aqui na rua. Eu não dei muita bola, e chamei a Cláudia pra ir à delegacia prestar queixa! Finalmente a ficha havia caído: roubaram o Uno em Palm Springs!

Foi então que um vizinho veio de longe falar comigo:

– Esse aqui sabe! – disse a velhinha vizinha.

Aí o moço começou a contar:

– Sabe o que é, moça? É que ontem os homens queriam passar as máquinas do asfalto. Eles precisavam tirar o Uno dali. Chamaram, chamaram, e ninguém atendia na sua casa. Então uma hora eu vi uma moça chegando [era a diarista] e ela me entregou a chave do Uno. Eu peguei o carro, coloquei ali naquele terreno baldio do lado da minha casa e devolvi a chave. Quando terminou o serviço do asfalto, não tinha mais ninguém em casa pra devolver o carro pro lugar.

Cláudia e eu rolamos de rir!!Mal conseguimos terminar de ouvir a explicação do moço!

Assim que me recuperei, atravessei a rua e lá vi, no meio do capim alto do terreno baldio, o Uninho querido estacionado esperando ser resgatado. Se ele não tivesse tão sujo, teria dado um beijo nele!! (não no vizinho, no Uno ahahaha)

Projeto Tocantins

Assalto e morte – coisa de cidade grande

Troca de tiros, perseguição policial e morte. Palm Springs está virando mocinha!

O caixa eletrônico de uma usina hidrelétrica foi roubado ontem por quatro homens armados que renderam seis vigias noturnos. Na fuga, levaram dois dos reféns e um carro da empresa. Ao deparar com a polícia, os assaltantes fugiram e um refém levou um tiro no pescoço.  Deixaram ali os reféns, o carro e o caixa eletrônico.

Os policiais fizeram uma varredura na zona rural e fecharam todas as estradas de terra. No final da tarde, um assaltante chegou ao hospital “todo peneirado”, segundo informações de enfermeiros. A polícia diz que ele morreu com três tiros.

Segundo testemunhas, um policial teria dito “descarreguei toda minha metralhadora e não acertei nenhum tiro!” – ainda bem que essa metralhadora não foi descarregada no refém, em quem os policiais atiraram pensando se tratar de um bandido.

Testemunhas ainda contam que a família do refém baleado foi agredida por policiais no hospital, e parte está presa até agora. Pastelão!

A propósito, já é o segundo assalto desse tipo em três meses. Estariaa região de Palm Springs virando rota deste tipo de quadrilha?

Projeto Tocantins

Teste de segurança

1. ao chegar na delegacia da sua cidade, você corre o risco de encontrar uma rede estendida em frente ao guichê de informações? Com um policial de chinelos dormindo nela?

2. ao sair do carro, percebe que uma das janelas ficou aberta e não volta para fechá-la?

3. um amigo perde a carteira no centro da city e vão atrás dele no escritório devolvê-la? Com tudo dentro?

4. a porta da sua cozinha é fechada por dentro com uma cadeira? e a da frente às vezes passa noites sem ser chaveada?

Se você respondeu SIM a duas ou mais destas perguntas, PARABÉNS!

Você mora em Palm Springs, Grande SS ou Paralá!!